Stoller

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z

O QUE VOCÊ PROCURA?


13/05 - ENTREVISTA - TRATAMETO DE HEMORRÓIDAS (COM JATOBÁ)

13/05/2003 - TodaFruta

COMO TRATEI UM PROBLEMA SÉRIO DE HEMORRÓIDAS UTILIZANDO CASCAS DO JATOBÁ

Como professor de fruticultura há 35 anos na Unesp de Jaboticabal, comenta o Prof. Carlos Ruggiero ( ruggiero@fcav.unesp.br) " sempre advoguei que a Agronomia está diante de um grande banquete, e que muitas vezes não sabemos aproveitá-lo adequadamente, o que leva a problemas na geração de empregos para os jovens egressos das Faculdades, oportunidades para ajudar o Brasil a lutar na geração de empregos, bem como nos auxiliar no balanço de pagamentos, diminuindo a exportação de um lado e aumentando as nossas exportações na outra ponta. Nesse sentido é necessário que venhamos a olhar as frutas de uma maneira mais abrangente, e não as vendo apenas como produtoras de frutas frescas, produção de sucos etc. mas sim ampliarmos o leque de observações. Nesse sentido complementa, deveremos passar a olhar frutas como:

1)FRUTAS FRESCAS: aproveitando ao máximo possível esse potencial desse principal segmento , e sempre preocupados em produzirmos frutas de excelente qualidade.

2)PRODUÇÃO DE SUCOS: explorarmos ao máximo o potencial daquelas frutas que tem essa possibilidade, e ou de produzirem polpas possíveis de serem industrializadas.

3)PRODUÇÃO DE PRODUTOS DESIDRATADOS: Um campo que merece uma maior atenção, incentivando pesquisas nessa área, para que venhamos a ampliar o leque de opções.

4)PRODUTOS FARMACEUTICOS E PERFUMARIA: Ampliarmos ao máximo esse potencial, e nesse sentido interessante matéria foi publicada no OESP, com o título Pau rosa, um doce aroma que pode morrer, finalizando a reportagem, comenta o articulista, na Amazônia temos mais de 1000 espécies com potencial de uso na perfumaria e aproveitamos muito mal apenas uma.

5)PRODUÇÃO DE FUNGICIDAS, INSETICIDAS: Quando realizamos o 2º simpósio brasileiro sobre a cultura do maracujazeiro em Jaboticabal em 1977, comenta o prof. Ruggiero, um pesquisador da USP de Ribeirão Preto da área de bioquímica, ficou assustado com o relato do grande numero de doenças que ocorria na cultura, pois algumas espécies de maracujazeiro produzem fungicidas, como o Passicol.

Lembramos aos internautas que temos dentro da família das Passifloracea mais de 500 espécies. Deveremos ampliando o leque de observações dessas frutíferas, seguramente estaremos contribuindo para a produção de fungicidas, inseticidas que seguramente auxiliaram no controle integrado de várias doenças.

6)PRODUÇÃO DE MEDICAMENTOS: Se aproveitamos adequadamente a biodivisersidade existente, estaremos de um lado produzindo medicamentos brasileiros, diminuindo a exportação, e na outra ponta aumentando as nossas importações
Nesse sentido recebemos um e-mail aflito de um internauta de um país europeu que nos solicitava o envio de folhas de graviola, devido ele estar sofrendo com problemas com o câncer, comenta o prof. Ruggiero.
Verifica que se a agronomia trabalhar integrada com a medicina, farmácia, bioquímica, botânica, etc., estaremos dando um salto qualitativo nas nossas pesquisas, gerando emprego, e contribuindo para uma melhoria na distribuição de renda no nosso querido Brasil.
Com esses comentários iniciais necessários, é que nos anima a colocarmos no portal TODAFRUTA, um mecanismo de difusão dessas experiências dos nossos internautas.
Sabemos que um produto natural utilizado por uma pessoa poderá não ter o mesmo efeito em outro indivíduo, as vezes com reações negativas e comprometedoras. Sabemos que é necessário que essas experiências pessoais daqueles que sofrem com um problema precisam ser examinadas pelos pesquisadores em uma ação integrada, afim de definir como um determinado produto natural deva ser utilizado ,é com esse objeto que lançamos o inicio de uma série de reportagens afins.

TODAFRUTA: Entrevistou um grande amigo Paulo, residente em Monte Alto - SP pgp.fs@hotmail.com , que enriqueceu com essa reportagem que julgamos muito interessante, ao Paulo por esse desprendimento e colaboração os nossos sinceros agradecimentos.

TODAFRUTA: Descreva um pouco o que você passava com o seu problema de hemorróidas.

P: Estado de irritabilidade, e até mesmo muitas vezes perda de concentração no trabalho, e a impossibilidade de efetuar algumas atividades físicas, enfim a dor que bastante incomoda se torna constante e presente.

TODAFRUTA: Qual a recomendação que os médicos davam para o seu caso?

P: cirurgia.

TODAFRUTA: Como você ficou sabendo que cascas de Jatobá ajudavam na cura?

P: através de uma pessoa idosa (caboclo), que havia tido o problema há muitos anos atrás, curou-se dessa forma, e vem curando segundo ele muita gente até então.

TODAFRUTA: Descreva como você preparou o produto?

P: Utilizei três "vagens", de Jatobá, sem a massa interna, o que era retirada toda.
Vagem= é a casca do Jatobá

TODAFRUTA: Qual o tamanho dos frutos coletados?

P: Recomendo três cascas, porque se a pessoa utilizar frutas muito pequenas poderá não funcionar bem. Devem ser coletados no chão sem que estejam abertos e frescos.

TODAFRUTA: Como era preparado o chá?

P: Fervia aproximadamente uns 3 litros de água. Colocava as cascas de jatobá, dentro da água fervida, e em seguida desligava o fogo, abafando a vasilha com água por umas 3 horas. Estava assim pronto o chá que tomei.

TODAFRUTA: Detalhe como você tomava, horários, quantidade, e tempo?

P: Tomava um copo em jejum pela manhã, um copo a tarde, e um copo a noite ao dormir. No meu caso tomei uns 5 litros do chá.
A quantidade de chá poderá variar com a pessoa e com o tipo de hemorróida que esteja sofrendo.

TODAFRUTA: Há quanto tempo ocorreu isso?

P: Faz uns 4 anos, que não tenho tido nenhum problema.

TODAFRUTA: É evidente que os cuidados médicos não devem ser abolidos, e sim procurar o conselho de profissionais da área.
Lembramos também que a experiência do nosso amigo Paulo, poderá não funcionar para outros casos.



Envie essa notícia para um amigo.

Seu nome:    Seu e-mail:

Nome do amigo:    E-mail do amigo:

Mensagem(opcional):



COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário

Nome:

E-mail:


Comentário:



0 comentário(s):


Soloeste

Gráfica Santa Terezinha

Caliman

Multiplanta

Fruteza

Fruticultura

Funep

Revista Brasileira de Fruticultura